Turíbio Santos, Gabriela Coutinho, da organização da Casa Cor PE, Ana Cecília e Zezinho Santos Foto: Arthur Mota
Decoração Lifestyle

Madeiras e plantas são protagonistas da Casa Cor Pernambuco

A mostra será aberta ao público nesta sexta-feira (21), com 40 espaços assinados por 66 profissionais

Franqueada da Casa Cor Pernambuco, Isabela Coutinho recebeu, no tradicional brunch, na manhã desta quinta-feira (20), a Imprensa da Cidade para apresentar os trabalhos dos 66 profissionais. Desta vez, a mostra traz o conceito Casa Viva, que propõe o verde da natureza e o marrom da madeira em todos os 40 ambientes, começando, aliás, pela fachada, com o letreiro tomado por folhagens.

Fachada da Casa Cor PE 2018 – Crédito: Arthur Mota
Isabela Coutinho recebeu a Imprensa para apresentar o evento – Crédito: Arthur Mota
Gabriela fez as vezes de anfitriã ao lado da mãe, Isabela – Crédito: Arthur Mota

O casarão da família Santos é três vezes maior que o imóvel da última edição, com 5 mil m² e estrutura da década de 1930, em estilo neocolonial, localizado na avenida 17 de Agosto, nº 1112, em Casa Forte. A casa, inclusive, é tombada a nível municipal. O piso da residência, um taco belíssimo, foi todo preservado. As benfeitorias ficam para os donos, uma contrapartida da organização. Chama atenção, logo no jardim da entrada, a escultura de Abelardo da Hora, cedida gentilmente por Fana Mendonça.

O casarão em estilo neocolonial tem 5 mil m² – Crédito: Arthur Mota
A escultura de Abelardo da Hora é espetáculo à parte logo no jardim da entrada – Crédito: Arthur Mota

Entre as paradas obrigatórias no passeio, a Sala de Estar de Zezinho e Turíbio, cheia de lembranças de quem morou lá, a exemplo do sofá em quem nasceu José Santos, um piano da família, fotos de Ana Cecília Santos, além, lógico, de muitas obras de arte, a exemplo de bela tela de Francisco Brennand. É o espaço que exala mais afetividade, por toda a história envolvida. “Eu lembro que tia Rosália trazia a gente pra cá. Foi uma infância toda aqui”, revelou Zezinho. O papel de parede usado no teto, todo trabalho em pequenas flores, remete aos vestidos usados pela avó do arquiteto.

Turíbio e Zezinho Santos apegaram-se à afetividade para compor a Sala de Estar – Crédito: Arthur Mota
As fotos na parede levam a assinatura de Ana Cecília Santos – Crédito: Arthur Mota
O papel de parede do teto remete a estampas usadas pela avó de Zezinho – Crédito: Arthur Mota
O piano já virou marca dos arquitetos – Crédito: Arthur Mota
Detalhes da Sala de Estar – Crédito: Arthur Mota

Também é indispensável conhecer a Sala de Leitura de Ana Cristina Cunha, um verdadeiro convite ao prazer de ler: traz conforto na Poltrona Mole de Sérgio Rodrigues e delicadeza de sobra, com uma belíssima homenagem a Rosália Santos através de bilhetes que revelam toda a simpatia da antiga moradora. Precisa ser visitada a Sala de Jantar Hulha do alagoano Rodrigo Fagá, que faz a sua estreia na Casa Cor PE e revela todo o seu conceito num ambiento trabalhado no preto, com destaque para a madeira carbonizada da parede e a Extension chair, uma espécie de cadeira-cabide. Um show de técnicas, inspiração pura.

Ana Cristina Cunha mandou muito bem na Sala de Leitura – Crédito: Arthur Mota
A Sala de Leitura está uma delícia, com Poltrona Mole, um clássico de Sérgio Rodrigues – Crédito: Arthur Mota
O ambiente all black de Rodrigo Fagá – Crédito: Arthur Mota
Os elementos em preto destacam o conceito de Fagá na sua Sala de Jantar – Crédito: Arthur Mota

A Sala Off Black de Luiz Dubeux e João Vasconcelos também chama atenção, com big quadro de José Patrício feito especialmente para a ocasião. O quê descolado vem dos elementos e do contraste entre o preto e o branco das divisões. O Quarto da Menina também tem caráter afetivo. As arquitetas que assinam o espaço, Eveline Carvalho e Graciely Nery, receberam consultoria mais do que especial da garota que dormia lá, Mariana Melo, neta de Rosália. Merece atenção o Estar Íntimo de Alysson Albuquerque e Rodrigo Malvim. Bom gosto é expressão de ordem no ambiente, que aproveita bem o pouco espaço e o transforma em aconchego: uma vitrola, um sofá, uma poltrona e as obras convidam à apreciação da arte.

João Vasconcelos e Luiz Dubeux investiram no contraste preto/branco – Crédito: Arthur Mota
Que honra: José Patrício fez a obra para o ambiente – Crédito: Arthur Mota
O Quarto da Garota revelou a história de quem viveu na casa – Crédito: Arthur Mota

A Casa Trousseau de André Carício traz um novo lado do arquiteto, que abusou das madeiras e plantas para um ambiente vivo, altivo e aquele cheirinho delícia do famoso aromatizador Trousseau. A Casa Iquine de Luiza Nogueira está toda trabalhada no conceito de upcycling, com latas de tinta como décor, em referência aos nossos cobogós. Restaurante oficial da mostra, o Riso ganhou projeto da Polígonos, de Manoela Pires, Renata Paraíso e Thiago Valença. A parte interna está maravilhosa, mas o externo promete atrair a todos que gostam de um arzinho fresco.

André Carício assina a Casa Trousseau – Crédito: Arthur Mota
Luz Nogueira montou as latas de forma a fazer referência aos cobogós – Crédito: Arthur Mota
O restaurante Riso levou a assinatura da Polígonos – Crédito: Arthur Mota

O Living da Piscina de Humberto e Analice Zírpoli traz a grandiosidade pela qual o casal é conhecido na área. A Cabana Haut, da We Arquitetos, está impecável: a cara das casas de campo. É ideal para o clima friozinho: a comodidade e a beleza dão o tom. Por fim, a Arena Arbor, que promete movimentar a mostra até o dia 4 de novembro com várias palestras.

Humberto e Analice Zírpoli investiram na grandiosidade para o Living da Piscina – Crédito: Arthur Mota
A We Arquitetos assina a Cabana Haut – Crédito: Arthur Mota
O ambiente da Cabana Haut é ideal para lugares frios – Crédito: Arthur Mota
A Arena Arbor promete ser point da mostra, com palestras e programação especial – Crédito: Arthur Mota

Não pode deixar de ser vista a Casa do Futuro de Diogo Viana. Todo em vidro, como uma aquário, o espaço é o cantinho da tecnologia à serviço da arquitetura, com direito até a privada de controle remoto.

Diogo Viana assina a Casa do Futuro – Crédito: Gleyson Ramos/Divulgação
O ambiente traz a tecnologia como aliada da arquitetura – Crédito: Gleyson Ramos/Divulgação

 

Mais Lidas Hoje