O médico, especialista na área, revela que não é concebível o paciente ficar cego para operar a catarata - Foto: Reprodução YouTube
Acontece

Álvaro Dantas explica a evolução e o tratamento de catarata

O oftalmologista, nome à frente do Instituto de Cirurgia Ocular do Nordeste, revelou como é simples o tratamento da doença

O oftalmologista Álvaro Dantas é ferrenho defensor das cirurgias oculares a laser. O trabalho exitoso que realiza no seu Ícone, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, faz a diferença na vida de gente não só de Pernambuco, mas do Brasil e do mundo. Os procedimentos -indolores e rápidos- facilitam a vida de quem quer se livrar dos óculos de grau e também daquelas pessoas que desejam tratar a catarata, doença caracterizada pela opacificação do cristalino do olho, com comprometimento da capacidade visual; pode afetar um ou ambos os olhos e desenvolve-se lentamente. Álvaro é especialista na área e cuida de vários casos referentes ao problema.

A catarata deve ser tratada no seu estágio inicial – Foto: Divulgação

“Catarata é uma doença que todo mundo vai desenvolver. Começa a se formar normalmente a partir dos 50 anos e vai evoluindo até chegar a seu estado extremo, quando o paciente já está com mais de 90”, conta Álvaro. O médico alerta para a nova tendência da oftalmologia de não deixar que a doença chegue ao seu estágio mais avançado para, então, operar. “Ela [a cirurgia] deve ser realizada numa fase inicial, mediana. A ideia de ficar cego para operar a catarata não existe mais”, conclui. Na cirurgia, a lente que perdeu a transparência é retirada para a implantação de uma artificial.

A catarata promove a perda da visão gradativamente – Foto: Divulgação

 

Assista à entrevista com Álvaro Dantas:

 

Serviço 

ICONE – Instituto de Cirurgia Ocular do Nordeste
Endereço: 1º e 2º andar, R. Barão de Souza Leão, 425 – Boa Viagem, Recife – PE
Telefone: (81) 2138-0080

Leia mais: