Política

Saiba quem é Renato Feder, novo ministro da educação

Renato Feder - Foto: Reprodução/Facebook
O escolhido do presidente Bolsonaro desagradou as alas ideológica e militar do governo

O presidente Jair Bolsonaro escolheu seu próximo ministro da Educação, o quarto desde que assumiu o cargo. Renato Feder, secretário de Educação e Esporte do Paraná, assumirá o comando do MEC. Ele, aliás, é um nome ligado ao Centrão, grupo político do qual Bolsonaro tem se aproximado para evitar um possível impeachment. O novo ministro é graduado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e mestre em economia pela Universidade de São Paulo (USP).

Renato Feder – Foto: Divulgação/Secretaria de Educação do Paraná
Leia Mais

Rodrigo Maia veio ao Recife tratar do apoio de Bivar a Campos

Ainda assim, o nome de Feder foi duramente criticado pela ala ideológica do governo. Seguidores do guru da família Bolsonaro, Olavo de Carvalho, reprovaram a indicação de Renato, afirmando que não foi uma escolha do presidente, mas uma “indicação do sistema”. O grupo afirma que perderam o MEC, que foi entregue nas mãos de um “radical de esquerda”. Além disso, criticam a proximidade de Feder com João Dória, governador de São Paulo e adversário político de Bolsonaro. Aliás, nas redes sociais, a ala ideológica já começou a “fritura” de Renato Feder.

Olavo de Carvalho é o guru ideológico da família Bolsonaro – Foto: Alan Santos/PR

A ala militar do governo Bolsonaro tampouco ficou satisfeita com a indicação. Eles foram surpreendidos com o nome de Feder, uma vez que não é uma escolha que recebeu aval dos militares. O grupo, que quer um nome ligado à ele, também aderiu aos ataques contra o novo ministro, apontando possíveis incoerências em seu currículo. Aliás, o último indicado ao MEC, Carlos Decotelli, foi uma escolha da ala militar e ele nem chegou a assumir a pasta justamente pelas diversas polêmicas envolvendo informações falsas em seu currículo.

Decotelli deixou o MEC antes mesmo de assumir – Foto: Divulgação
Leia Mais

Operação Lava Jato denuncia José Serra por lavagem de dinheiro

Renato Feder chegou a defender o fim do Ministério da Educação e a privatização de todo o ensino público, a começar pelas universidades. A proposta, que incluía a concessão de vouchers para as famílias matricularem os filhos em escolas privadas, está no livro “Carregando o Elefante – como transformar o Brasil no país mais rico do mundo”, de 2007. A publicação é um compilado de críticas e sugestões para as diversas áreas da administração pública brasileira, idealizadas por Feder e seu antigo colega de trabalho, Alexandre Ostrowiecki. Ainda assim, quando assumiu a secretaria de educação do Paraná, ele afirmou que mudou de ideia sobre opiniões apresentadas no livro, incluindo a de privatização do ensino.

Alexandre Ostrowiecki e Renato Feder – Foto: Divulgação

Além disso, Renato Feder tem contra si um caso de corrupção em 2016. Naquela época, o novo membro do governo de Bolsonaro foi denunciado por sonegação fiscal e responde a processo milionário na Justiça de São Paulo, que corre em sigilo. Em 2016, Feder e o sócio, Alexandre Ostrowiecki, administradores da Multilaser, foram denunciados pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Coordenadoria de Combate à Sonegação Fiscal (Coesf), por fraude de R$ 3,2 milhões em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Dünyaya açılmak için hala neden bekliyorsunuz?

Türk takipçi

Günümüz de en önde giden sosyal medya platformlarından olan instagram ile günümüzün uzun bir süresini geçiriyoruz tabiki bu durumda ise birşeyler paylaştığımız vakit beğenilmek istiyoruz. yüzler ce binlerce takipçisi olan arkadaşlarınızdan yada rakip iş yeri sahiplerinizden önde olmak istemezmisiniz? eğer bunları düşünüyor ve siz de sosyal medya da satış yaparak para kazanmak istiyorsanız sizi https://instagramaktiftakipci.com/turktakipci/ bekliyoruz