Vanessa da Mata nos recebeu no camarim e falou sobre vida pessoal e profissional - Foto: Arthur de Souza
Entrevista

Entrevista: Vanessa da Mata fala sobre migração para o digital

A cantora também falou sobre Réveillon, Carnaval, amor pelos lírios, moda e outros assuntos

A cantora Vanessa da Mata fez show intimista, para convidados, em comemoração ao aniversário do RioMar Recife. Bem à vontade, sentou no palco, cantou clássicos da carreira e apresentou pela primeira vez nos palcos a canção “Apenas mais uma de amor”, sua versão do hit de Lulu Santos. Ao final, recebeu o Site Roberta Jungmann no camarim, onde conversou sobre diversos de assuntos, entre eles, as festas de fim de ano. Passa o Réveillon em Maragogi, quando comanda show, mas deve chegar só para a apresentação. No Natal, encontra os três filhos, que estão morando com o ex-marido, fora do País. Em negociação, ainda é incerta sua vinda para o Carnaval pernambucano, inclusive ao Galo, que homenageia diversas mulheres que já passaram pelo bloco, entre elas, a artista. Confira:

ROBERTA JUNGMANN – Você lançou uma música nas plataformas digitais “Apenas mais uma de amor”, versão do hit de Lulu Santos, isso significa uma migração para o ambiente digital definitiva?

VANESSA DA MATA – Eu estou em uma crise enorme, vou te confessar. Eu estou anunciando que eu estou dentro de uma agência digital agora, ela pega a música nova, sem fazer sujeira, sem trabalho físico nas ruas, e anuncia isso nas plataformas digitais, as músicas novas estarão na internet. Em breve, esse processo terá até encarte, que a gente sente tanta falta, de uma geração anterior e a galera nova que foi acostumada com os pais sente a falta do charme do encarte, que tem as letras, imagens. Eu lancei “Apenas mais uma de amor”, o resultado está sendo ótimo, temos mais de meio milhão de visualizações em uma semana. A ideia é lançar um álbum ou músicas que serão lanças a cada 45 dias. Eu tenho proposta de entrar em uma gravadora, mas por enquanto, estou voltada para o digital.

RJ – Será o fim dos discos?

VANESSA DA MATA – Eu tenho um apego enorme pelo álbum, pela obra, por selecionar várias músicas e apresentar aquilo, mas ao mesmo tempo, o disco fica velho em três meses, isso é uma crise enorme do mercado. Eu não gostaria de lançar um disco que vai me dá um trabalho enorme e depois ficar velho. Eu estou estudando sobre o que eu vou fazer.

Vanessa revelou que está encantada com o mundo digital da música e não descarta a migração total – Foto: Arthur de Souza

RJ – Você já confessou, inclusive neste ano, que passou o Carnaval no Recife fantasiada no meio dos foliões. Como é sua ligação com a nossa cultura?

VANESSA DA MATA – Estive várias vezes no Carnaval, sou de acompanhar os velhinhos tocando rabeca no Carnaval e ficar chorando impressionada. Eu fico embasbacada quando eu venho ao Recife e percebo que sou querida aqui. Eu acho que essa educação que foi dada aqui ela se perdeu em muitos lugares do Brasil. Se a gente tivesse essa valorização da cultura popular, do que é nosso, a gente não estaria vendido para nada.

RJ – Você faz show em Maragogi, em Alagoas, na noite do Réveillon, vai chegar um pouco antes para curtir o espaço?

VANESSA DA MATA – Meus três filhos estão morando fora com meu ex-marido, que é o pai deles. Eu vou passar o Natal com eles, chego um pouco antes e venho para cá. Estou num processo de fazer música, a minha turma vai está toda lá, mas não vou conseguir chegar antes.

RJ – E o Carnaval 2019? O Galo da Madrugada homenageia as mulheres que já passaram pelo bloco, inclusive você. Estará por aqui?

VANESSA DA MATA – Ainda não sei o que está acontecendo de negociação nesse sentido. Eu só aprovo e desaprovo. Eu tenho uma combinação com meu empresário dele só me contar quando a coisa está andando um pouco melhor, ainda não sei.

Vanessa da Mata, foliã assumida do Carnaval pernambucano, cria os próprios figurinos para os shows – Foto: Arthur Mota

RJ – Pouca gente sabe que você cria os próprios figurinos e cenários dos seus shows…

VANESSA DA MATA – Já faço há muito tempo, é que sou péssima em marketing. Eu faço meus figurinos desde sempre, assim como meus cenários. O meu cenário e figurino do primeiro DVD é meu. Antes dessas misturas de Armani, Saint Laurent, que usa esses desenhos meio latinos, meio espanhóis, isso veio antes disso tudo, era uma peça exótica, hoje está na moda.

RJ – Lírios no pedestal do microfone virou sua marca nos shows. Qual o significado?

VANESSA DA MATA – Lírio na verdade tem uma simbologia de pureza, boas energias, purificação, proteção. Eu amo lírios, o cheiro, tem uma coisa religiosa, Jesus Cristo dizia que os lírios eram a simbologia da perfeição. O lírio tem Oxum, a coisa da água, de estar juntos dos rios, curto muito essas coisas.

Vanessa é otimista em relação ao futuro da Cultura brasileira – Foto: Arthur de Souza

RJ – Existe uma grande dúvida em relação a Cultura com o novo Governo. Como vê a Cultura para os anos seguintes?

VANESSA DA MATA – Como eu vejo? Meu bem, só Jesus Cristo (risos). Eu espero que seja levada a sério e a educação em primeiro lugar. Educação de uma maneira livre, mas eu nunca acreditei tanto no povo brasileiro, mais. Cada vez mais que vejo que quem faz a andar as coisas é o povo brasileiro. A vida inteira teve corrupção , a vida inteira teve ladroagem, fomos sacaneados e eu acredito muito mais no povo brasileiro do que na política.

RET Desk SJ Caruaru

Siga RJ nas Redes Sociais

RET Desk SJ Caruaru