Marina Ruy Barbosa - Foto: Reprodução
Acontece

“Estou frágil”, diz Marina Ruy Barbosa sobre polêmica com José Loreto

A ruiva foi entrevistada pelo jornalista Leo Dias

O jornalista Leo Dias, que agora tem um blog no site UOL, conversou com Marina Ruy Barbosa e a atriz abriu o coração sobre a midiática separação de José Loreto e Débora Nascimento, que se tornou uma grande polêmica ao apontarem a ruiva como o pivô da separação. Segundo a descrição de Leo, Marina não citou nominalmente ninguém, mas conseguiu passar seu recado e, principalmente, sua dor com tudo o que aconteceu.

Genérica, mas verdadeira em seu sentimento, Marina falou pela primeira – e provavelmente última – vez sobre um episódio que, segundo ela mesma disse, não merecia ter passado. E deixa claro que não quer guerra com ninguém, só viver em paz.

Confira a entrevista de Marina Ruy Barbosa com Leo Dias:

Houve um momento bastante conturbado no meio artístico e você foi colocada no meio de uma história bastante polêmica. Queremos esclarecer tudo. Como foi e como você está hoje?

Tudo está certo na minha vida, como sempre esteve. Eu tenho um casamento incrível, minha família também, meu marido, meu trabalho, tudo. Isso nunca, em momento algum, mudou. Essa história toda, em momento algum, afetou a minha relação ou o meu trabalho.

Sou atriz desde os nove anos, sou comprometida e dedicada ao meu trabalho, tenho muita gratidão aos que confiam em mim profissionalmente. Por isso, acho que nada, por mais difícil que seja em algumas situações, pode afetar o meu trabalho. Sempre zelei muito pela minha privacidade, não sou muito de expor em excesso minha vida e tento preservar as pessoas na medida do possível. Respeito fãs, jornalistas, e todos que gostam de mim. Eu entendo quando você, Leo, por exemplo, precisa fazer essas matérias delicadas, que mexem com a vida de muita gente, eu sei que é o seu trabalho.

Antes de citarmos seu nome, te procurei e pedimos uma declaração. Lembra?

E a minha declaração foi: ‘Eu não tenho nada a ver com isso, nunca tive’.

Quando tudo começou pensamos que era um boato de internet, mas depois constatamos que não, que era um ‘grupinho’ que falava de você. O que tem a dizer sobre isso?

Isso eu não tenho nada a dizer, não sei. O que posso falar é que óbvio que certas coisas mexem com a gente, mexeram com psicológico. Qualquer pessoa ficaria mexido. Você, Leo, sendo um homem mais maduro, e eu, sendo uma menina mulher cheia de responsabilidades, mas com 23 anos. Não tenho tanto repertório de vida. Tento evitar confusão, não gosto. Quero apenas fazer o meu trabalho sem prejudicar ninguém, sem passar por cima de ninguém. Fico na minha.

Como foi o seu reencontro com o José Loreto nas gravações. Você não o questionou sobre ele não ter ido a público tirar o seu nome dessa polêmica toda?

É o que eu falei, não vou deixar nada nunca e nem ninguém atrapalhar o meu trabalho. Esse problema nunca foi meu.

Mas te abalou?

Claro que me abalou. Mas eu dei a minha declaração imediatamente deixando claro que não tinha nenhum envolvimento com ele. Ele deu a dele falando que não houve traição e pediu respeito. Enfim, cada um fala e se posiciona da forma que acha que deve. Respeito e só posso me responsabilizar pelos meus atos. O que os outros fazem não é uma questão minha. Não pode ser. É assim que eu lido com isso.

Você se acha ‘a vítima” disso tudo?

Vítima é uma palavra muito ruim e eu não gosto de me colocar nessa posição. A gente vive numa sociedade machista e que tende a colocar todas as mulheres como vilãs, sempre. Eu acho que essa não é a melhor forma de lidar com as situações.

Você não perguntou para a Giovanna Ewbank, que é sua madrinha de casamento, o por quê dela parar de te seguir?

Eu só posso falar sobre as minhas atitudes, sobre o que eu faço. Minha consciência e meu casamento estão tranquilos e bem.

Não existe mais relação com ela então?

Pelo contrário, eu não tenho nada contra ninguém. Acho que todo mundo às vezes toma atitudes precipitadas. Não posso entrar na cabeça das pessoas e entender todos os sentimentos delas, mas eu não tenho nenhuma mágoa. Obviamente fiquei mexida com a situação toda, impossível não ficar. É impossível ter um terremoto embaixo de você e você ficar inabalável. Eu não sou inabalável, sou frágil. Mentira, estou frágil, mas sou forte.

Está frágil ainda? Mesmo sabendo que de alguma forma saiu fortalecida depois de ter o apoio do público e imprensa? (Marina inclusive na época ganhou mais de 400 mil seguidores nas redes sociais)

Estou frágil sim. Não acho que é por aí, acho que tem certas coisas que são desnecessárias passar. Mesmo sentindo o apoio, não compensa, nada compensa.

Vamos falar sobre a novela. Consegue fazer um balanço desse trabalho?

É a minha décima quarta novela. É um trabalho que eu já estava envolvida a tempos. Já sabia que eu faria esse papel. Conheci o Aguinaldo em “Império”, quando ele me deu uma grande oportunidade, um personagem importante na minha carreira. E depois disso ele escreveu esse papel em ‘O Sétimo Guardião’ para mim. É muito bom ter um autor, de uma novela das nove, que confia em mim para estar na linha de frente de uma novela dele. Aprendi muito.

O desempenho do elenco foi constante durante a novela. Não muda né?

Não dá pra ninguém largar a mão de ninguém durante uma novela. Fazer esse trabalho é pros fortes. Passamos de segunda a sábado, com 40 cenas por dia. Tem que tentar manter a qualidade. Eu dei o meu melhor, emendei um trabalho no outro depois de ‘Deus Salve o Rei’. Agora eu saio dessa novela com sensação de dever cumprido. Saio ainda mais madura do que entrei, com bagagem, prestando mais atenção em tudo.

Para finalizar, uma brincadeira leve: o saldo positivo dessa história é que pelo menos você não foi incluída no ‘surubão de noronha’?

Eu adoro Noronha, e quero voltar logo pra lá. Mas nunca soube desse surubão aí.

RET VW T-cross

Siga RJ nas Redes Sociais

RET VW T-cross