Cambito
Cambito lasanha vegetariana. Foto: Divulgação.
À mesa Malas Prontas

O melhor cambito de Maceió

O espaço é comandado pela chef Denise Xavier.

Por Bruno Albertim
([email protected])

Maceió tem as águas mais convictamente azuis de todo o litoral nordestino. Um sucesso concreto de
verão – são 20 mil turistas estrangeiros apenas na alta temporada, segundo dados gerais do turismo
oficial brasileiro. E é também, embora pouca gente lembre na hora de botar o protetor solar na
bagagem, uma das capitais gastronômicas do País. Ali, por exemplo, há mais de 20 anos, a veterana
Simone Bert se conosolidou, no seu Wanchaco, como a pioneira da cozinha peruana no Brasil. Nunca
volto de lá sem um novo endereço no coração.

Nesta última minitemporada, descobri, por sugestão de uma amiga, a jornalista Nide Lins que sabe tudo
da gastronomia alagoana, um motivo mais do que suficiente para se afastar por algumas horas da faixa
litorânea. Numa atitude bem ousada, longe dos bairros mais badalados, num charmosíssimo sobrado
antigo e recuperado, cheio de bossa, a chef Denise Xavier comanda as panelas do Cambito em pleno
centro antigo de Maceió.

Leia mais

Oficina do Sabor terá prato em homenagem à santa padroeira

Em meio ao burburinho do comércio popular (e do ótimo mercado de artesanato ali do lado), a chef
conduz, podem acreditar, um dos mais bem-vindos endereços da nova gastronomia brasileira. Bem
refrigerada, com um quintalzinho-delícia para afastar o calor do centrão, a casa tem serviço eficiente e
super informal, vinhos de boa qualidade e preço, tudo com a cara dos sócios de Denise, a dupla Isabela
Leão e Pedro Lira. Não demora para nos sentirmos íntimos do lugar.

Mas o que de fato importa é que Denise tem estofo para apresentar a simplicidade deliciosamente
descomplicada de sua cozinha. Advogada que trocou o Direito pela gastronomia, trabalhou em
restaurantes de referência como os paulistanos Mocotó (chef Rodrigo Oliveira), Guanahani (chef Jair
Rojas) e no Maní ( Helena Rizzo), além de ter gasto uma temporada de especialização em massas na
Itália. Mas nunca deixou de lado o desejo de voltar pra terrinha.

Cambito
Cambito sururu a capote metido a besta. Foto: Divulgação.

Durante a semana, ela serve uma espécie de PF com bossa do centro. Com entradinha e sobremesa,
por apenas R$ 28, pratos simples como o ótimo baião de fava ou o peixe do dia com salada e arroz com
grãos.

Mas é nos finais de semana que a chef desfila todo seu potencial. Então, podemos optar pelo menu de
duas (R$ 48) ou três etapas (R$ 55). Entre as entradas, há, por exemplo, uma coxinha de babaganoush
empanada em ervas finas, com molho azedo. Mas inesquecível é o tiradito de coco verde: a “carninha”
vegetal marinada no tradicional leche de tigre peruano com mix bem equilibrado de pimentas.

De principais, tente uma peixada em baixa temperatura, com arroz cremoso de coco, caldo de peixe e
farofinha de dendê. Ou ainda (isso é pura poesia comestível), o porco confitado com polenta gratinada,
alho cremoso e vinagrente de feijão fradinho.

Mas o clássico mais concorrido do repertório da moça é a lasanha (que mais parece um raviolone
aberto), delicadíssima, recheada com tomate confitado e crocante de panko, castanhas, azeitonas,
parmesão e pesto. Incrivelmente potente e delicado.

Se já não precisava de motivos para voltar a Maceió, agora temos mais um. E se chama Cambito.

Cambito. Rua Dr. Guedes Gondim, 79, Centro. De terça a domingo, das 12h às 15h. Fone: (82) 98159-
0314.