O ex-ministro da Fazenda defendeu a ampliação da quarentena no país. (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Política

Henrique Meirelles diz que isolamento beneficia economia

O ex-ministro da Fazenda disse que é um "equívoco" afirmar que o isolamento social está causando a crise econômica

Durante coletiva no Palácio dos Bandeirantes, nesta sexta (8), o secretário da Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles, classificou como “equívoco” a afirmação de que o isolamento social está causando a crise econômica. “A quarentena tem por finalidade combater de forma eficaz a contaminação e, consequentemente, beneficia a economia”, destacou o ex-ministro da Fazenda. Ele pontou ainda que “quanto mais rapidamente for controlada a evolução dos casos, mais rápido sairemos da crise e vamos recuperar os empregos e a renda”.

O estado de São Paulo, que concentra a maior quantidade de casos da Covid-19, teve quarentena estendida até 31 de maio pelo governador João Doria. (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

De acordo com Meirelles, as experiências de países que já passaram pelo pico de casos de Covid-19 mostram que quando a curva diminui, as atividades econômicas são retomadas. “Onde adotaram a quarentena com mais vigor, se recuperaram mais rapidamente do ponto de vista econômico”, destacou. Por conseguinte, para ele, as medidas restritivas devem prosseguir no país. “Temos que ampliar, sim, a quarentena”, defendeu.

Leia mais

Bolsonaro “ameça a resposta do Brasil à Covid-19”, diz The Lancet

Na quinta (7), Bolsonaro se reuniu com o presidente do STF numa tentativa de conseguir o relaxamento do isolamento nos estados. (Foto: G.Dettmar/Ag.CNJ)

A declaração de Meirelles acontece no dia seguinte ao lobby feito por Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal. Junto a alguns de seus ministros e empresários de vários setores, o presidente se reuniu com Dias Toffoli na quinta (7) a fim de relaxar as medidas de isolamento nos estados. O chefe do Executivo também fez, ontem (7), uma ampliação na lista de atividades essenciais, decretando que a construção civil e as indústrias podem reabrir.