Hassad Diab - Foto: Reprodução/Al Jazeera
Acontece Política

Premiê do Líbano renuncia ao cargo seis dias após explosões

Hassan Diab deixa o cargo sob acusações de negligência e pressão de manifestantes

O primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, divulgou em rede nacional sua renúncia do governo nesta segunda-feira (10). O anúncio procede a mega explosão que destruiu grande parte de Beirute e deixou mais de duas centenas de mortos e 6.000 feridos há seis dias. A catástrofe gerou uma série de protestos contra o governo local, onde manifestantes tomaram às ruas do país durante o fim de semana.

O primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, apresenta sua renúncia ao presidente do Líbano, Michel Aoun. – Foto: Reprodução/Al Jazeera

LEIA MAIS

Celebrando 60 anos hoje, Antonio Banderas anuncia estar com covid

O presidente libanês Michel Aoun aceitou a renúncia do governo do primeiro ministro. De acordo com a rede de notícias Al Jazeera, Michel Aoun solicitou que Diab permanecesse na capacidade de interino até que um novo gabinete seja formado. Antes do premiê, três ministros já haviam confirmado a demissão dos cargos, bem como parlamentares do país que se afastaram do governo.

Durante a transmissão do anúncio, Diab se disse à favor das críticas dos manifestantes e atacou a elite política do país. “Esse desastre é o resultado da corrupção endêmica. Eu já disse que ela está encrustada em todas as partes do Estado, mas descobri que a corrupção é maior do que o Estado. A classe política está usando todos os truques sujos para impedir uma mudança real”, afirmou o ex-premiê.

Ademais, acredita-se que a explosão tenha sido causada por um incêndio que inflamou um estoque de 2.750 toneladas de nitrato de amônio altamente volátil. O material estava armazenado no porto desde 2013 com poucas salvaguardas, apesar dos inúmeros avisos de perigo. O fato desencadeou uma onda de protestos antigovernamentais no último fim de semana que se tornaram violentos quando manifestantes foram confrontados pela tropa de choque.