Gramado - Foto: Divulgação
Malas Prontas

Gramado reabre restaurantes e hotéis, mas faltam turistas

Um dos grandes polos de turismo do país volta à ativa em marcha lenta

Após quase dois meses de quarentena, os hotéis e restaurantes de Gramado começaram a reabrir e relaxar o isolamento social. Ainda assim, o movimento de turistas é muito pequeno, o que preocupa o município da Serra Gaúcha. Isso porque a “Suíça Brasileira” é um dos principais polos turísticos nacionais e tem quase 90% de sua economia atrelada ao movimento dos visitantes.

Gramado – Foto: Divulgação

Na última sexta-feira (15), mesmo com o clima frio convidativo para uma fondue, o cenário de Gramado não parecia muito diferente do que se via no período de quarentena, com poucas pessoas circulando nas ruas. Durante o dia, filas apenas em postos de serviços como as agências de correios. À noite, restaurantes com luzes e velas acesas para jantares quase exclusivos, não por causa do distanciamento, mas pela baixa demanda.

Leia Mais

Praias próximas a Roma reabrem neste fim de semana

Até a terça-feira passada (19), o município contabilizava sete casos de coronavírus, sendo cinco deles já curados, além de nenhuma morte. Mesmo dentro desse contexto de baixa contaminação, a tentativa de trazer de volta os turistas é uma iniciativa delicada, porque pode provocar o efeito colateral da disseminação do vírus pela chegada dos “forasteiros”. Por isso a reabertura ocorre mediante alguns cuidados, que servem também para garantir aos visitantes que encontrarão por lá um ambiente seguro.

Quem se hospedar em um dos hotéis mais sofisticados da cidade, o Saint Andrews, encontrará um “novo normal”, com rigorosos protocolos de segurança e higiene. No check-in, os hóspedes fazem uma visita e conhecem as normas vigentes. As refeições são servidas nas suítes ou pré-agendadas no restaurante, para que possam ser individuais. A lém disso, a limpeza conta com a ajuda de um superaspirador alemão, e as faxineiras gastam cerca de uma hora em cada suíte para a desinfecção de pisos, tapetes e cortinas. Dos dezenove quartos, apenas dez estão liberados.

O luxuoso Saint Andrews conta com rigorosos protocolos de higienização – Foto: André Feltes/Divulgação
Leia Mais

Gol retoma voos da rota Recife-Salvador

Boa parte das demissões de Gramado se deu no setor gastronômico. O Pastasciutta, por exemplo, eliminou mais da metade de seu quadro de colaboradores. Entre as duas unidades (uma cantina e um bistrô), os atuais 36 empregados se revezam em um horário de expediente reduzido, de forma a concentrar o atendimento em oito horas, para almoço e jantar. Aberto desde o dia 17 de abril, quando o município flexibilizou a quarentena para os restaurantes, o Pastasciutta oferece 69 dos seus 230 lugares de antes da pandemia. Aliás, só no quarto fim de semana após a retomada, as unidades conseguiram se aproximar dos 80% de ocupação de sua nova capacidade máxima. Além disso, um sinal dos novos tempos é que antes de consultarem o menu, os clientes acompanham da recepção o processo de higienização das mesas, cadeiras, louças e talheres.

Restaurantes em Gramado – Foto: Divulgação

Siga RJ nas Redes Sociais