Acontece

Famosos rebatem antropóloga que criticou novo filme de Beyoncé

Famosos rebatem antropóloga que criticou novo filme de Beyoncé
Personalidades destacaram a importância do trabalho da Cantora - Foto: Montagem/Reprodução.
Personalidades criticaram texto da colunista da Folha de S. Paulo.

Beyoncé é indiscutivelmente uma das maiores artistas da contemporaneidade. Na última sexta-feira (31), a cantora lançou seu novo álbum visual, “Black is King”, que resgata elementos da cultura negra e evidencia valores africanos. Durante o fim de semana e no decorrer desta segunda-feira (3), análises sobre o projeto ganharam as redes sociais. A grande maioria delas, é claro, demonstraram a importância da artista e o poder da sua voz nos temas ligados às questões raciais.

No entanto, um artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo reduziu a representatividade do trabalho encabeçado pela estrela internacional a uma manchete que associava os elementos visuais e figurinos usados no álbum à “glamourização” excessiva e aos efeitos especiais que hoje naturalmente integram o cinema e o audiovisual. De autoria da antropóloga Lilia Schwarcz, o texto recebeu inúmeras críticas desde a sua publicação, resultando, inclusive, em uma tentativa de pedido de desculpas em suas redes sociais. “Sei que todo texto pode ter várias interpretações e me desculpo diante das pessoas que ofendi. Não foi minha intenção”, escreveu a historiadora.

Beyoncé lançou novo álbum na sexta (31) – Foto: Divulgação
Famosos rebatem antropóloga que criticou novo filme de Beyoncé
Maíra Azevedo questionou posicionamento da historiadora – Foto: Divulgação/Magali Moraes
Leia mais

Oprah estreia novo talk show na Apple TV

Muitos famosos, aliás, estão entre as pessoas que criticaram o posicionamento de Lilia. A jornalista Maíra Azevedo, mais conhecida com Tia Má, apontou a falta de lugar de fala da antropóloga ao criticar um trabalho produzido por pessoas negras e que busca valorizar justamente a cultura afrodescendente. “O erro é uma mulher branca acreditar que pode dizer a uma mulher preta como ela pode contar a história e narrar a sua ancestralidade. A branquitude acostumou a ter a negritude como objeto de estudo e segue crendo que pode nos dizer o que falar sobre nossas narrativas e trajetórias”, escreveu em seu Instagram.

A cantora Paula Lima também questionou a crítica da colunista. “Beyoncé incomoda, né? Porque será?! Ser rainha, preta e dona do mundo deve doer demais para “pessoas” desavisadas! Que feio! Salve Queen B”, comentou. Na mesma linha, o ator Rafael Zulu destacou que é o momento de as pessoas negras também estarem em posições valorizadas e de prestígio social. “Eles nunca vão se acostumar. Pois eles que lutem, porque a gente chegou e do topo não vamos sair nunca mais”, disse.

Famosos rebatem antropóloga que criticou novo filme de Beyoncé
Paula Lima também comentou o caso – Foto: Divulgação.
Famosos rebatem antropóloga que criticou novo filme de Beyoncé
Rafael Zulu destacou, dessa forma, a importância de haver pessoas negras em posições de destaque – Foto: Reprodução/TV Globo.
Leia mais

Elza Soares celebra 90 anos com revelações sobre vida e carreira

Considerada uma das principais cantoras brasileiras da nova geração, Iza também fez questão de demonstrar a importância do trabalho de Beyoncé, questionando a autoridade que a autora do texto teria, então, para diminuir o novo projeto da artista. “Meu anjo, quem precisa entender sou eu. Eu preciso entender que privilégio é esse que te faz pensar que você tem alguma autoridade para ensinar uma mulher negra como ela deve falar ou não sobre seu povo. Se eu fosse você (valeu, Deus), estaria com vergonha. Agora melhore!”, compartilhou a cantora em seus stories.

Famosos rebatem antropóloga que criticou novo filme de Beyoncé
Iza também questionou o posicionamento da antropóloga – Foto: Reprodução/Instagram.
Ícaro Silva, aliás, também foi incisivo em seu comentário – Foto: Reprodução/Instagram.

Outro artista que também foi incisivo em seu comentário foi o ator Ícaro Silva. “Você é uma grande, grande vergonha. Não somente para o Brasil e para o povo preto, mas para todos os povos aqui presentes. Não vejo por onde defender seu declarado racismo, sua arrogância branca elitista, em se dar ao direito não somente de reduzir uma obra ao nicho “antirracista” mas em acreditar que tem conhecimento antropológico sobre África”, analisou.

Comentário de Ícaro Silva nas redes sociais – Foto: Reprodução/Instagram.

Em seu artigo, Lilia negativizou o fato de Beyoncé ambientar a história de “Black is King” em passagens que incluem, por exemplo, as savanas africanas. Vale-se, então, lembrar, que o álbum dialoga com o filme “O Rei Leão”, o qual se passa no deserto do continente. O novo trabalho da cantora, aliás, é produzido em parceria com o serviço de streaming da Disney, responsável pela famosa história de Simba e cuja a versão mais recente teve a voz da cantora na personagem de Nala, leoa que também protagoniza o enredo.

Leia mais

Campanha inspirada em Taís Araujo une mulheres negras pelo país

A atriz Camila Pitanga, por sua vez, aconselhou a leitura do artigo compartilhado pelo advogado Thiago Amparo, também colunista da Folha de S. Paulo, que apresentou um contraponto à crítica de Lilia e analisou, assim, a produção audiovisual sob a ótica do afrofuturismo, que é a provável “escola” na qual o filme se baseou. “Podem negros(as) criar fábulas, como brancos sempre fizeram? Filme da Beyoncé, para mim, não apresenta África idílica. Me parece uma filme afrofuturista – que imagina o futuro afrocentrado”, escreveu, pedindo o diálogo no andamento da questão.

Camila Pitanga indicou outro texto para leitura – Foto: Divulgação/Bob Wolfenson.

O ex-BBB Rodrigo França lembrou, ainda, que a historiadora, em outro momento, mostrou-se contrária às política afirmativas. “A senhora assinou um manifesto contra as cotas… Depois pediu desculpas. Professora, a senhora não aprende, não é mesmo?”, questionou. Já o escritor Ale Santos pontuou que a mídia deve estar atenta aos artigos publicados em seus veículos. “A imprensa tem que se ligar da nova realidade. No passado quando seus colunistas falavam besteira não existia um espaço para pessoas negras e periféricas questionarem, hoje nós temos voz pra criticar e isso está assustando geral, deixa nomes famosos em choque. É só o começo”, disse.
Rodrigo França, aliás, está entre os que criticaram o texto de Lilia – Foto: Reprodução/Cacau Fernandes.

 

Dünyaya açılmak için hala neden bekliyorsunuz?

Türk takipçi

Günümüz de en önde giden sosyal medya platformlarından olan instagram ile günümüzün uzun bir süresini geçiriyoruz tabiki bu durumda ise birşeyler paylaştığımız vakit beğenilmek istiyoruz. yüzler ce binlerce takipçisi olan arkadaşlarınızdan yada rakip iş yeri sahiplerinizden önde olmak istemezmisiniz? eğer bunları düşünüyor ve siz de sosyal medya da satış yaparak para kazanmak istiyorsanız sizi https://instagramaktiftakipci.com/turktakipci/ bekliyoruz